Um ano de experimentação…

… até no gosto musical

Fiquei um tanto de tempo pensando no último post de 2013. Esbocei várias ideias, mas nada me agradou.
Ainda estou fazendo um balanço do que foi esse ano para mim. Embora tenha certeza que a mudança de ano só serve pra me lembrar de comprar uma agenda nova e trocar o calendário na geladeira, não consigo evitar essa reflexão do que fiz, não fiz, do que aprendi, o que deixei passar… enfim: as conquistas e dissabores do ano.

Nesse processo dei-me conta de duas coisas:
1) A palavra que resume meu ano é experimentação. Dei uma chance a mim mesma de viver muitas coisas que se (ah, os “se’s”) tivesse pensado duas vezes não teria entrado em algumas frias ou teria deixado passar grandes momentos. Foi um ano de agir de mais e pensar de menos.

2) Nessa experimentação toda me permiti também descobrir outros estilos musicais que combinassem com esses momentos. Caí de amores por Vinícius de Moraes, fortaleci minha admiração pela Pink e KT Tunstall, para citar alguns dos músicos que não saíram da minha playlist nesse ano.

Então, pensando que essas músicas permearam minhas experimentações decidi que o último post vai ser dedicado a elas: Minhas descobertas musicais de 2013:

Ouve a playlist no Youtube: http://bit.ly/K5Sn7K

Como dizia o poeta – Maria Bethânia
Abre os teus braços, meu irmão, deixa cair
Pra que somar se a gente pode dividir?
Eu francamente já não quero nem saber
De quem não vai porque tem medo de sofrer

Debaixo d’água – Maria Bethânia
Debaixo d’água ficaria para sempre, ficaria contente
Longe de toda gente, para sempre no fundo do mar
Mas tinha que respirar
Todo dia

Feel it all – KT Tunstall
Do you know what you’ve done for me
You made my branches grow
Now they can play with the wind
And they can carry the snow

playlist

Sei lá (a vida tem sempre razão) – Vinícius de Moraes
Tem dias que eu fico pensando na vida
E sinceramente não vejo saída
Como é por exemplo que dá pra entender
A gente mal nasce e começa a morrer
Depois da chegada vem sempre a partida
Porque não há nada sem separação

Medo – Lenine e Julieta Venegas
Medo de olhar no fundo
Medo de dobrar a esquina
Medo de ficar no escuro
De passar em branco, de cruzar a linha
Medo de se achar sozinho
De perder a rédea, a pose e o prumo
Medo de pedir arrego, medo de vagar sem rumo

El presente – Julieta Venegas
El presente es lo único que tengo
El presente es lo único que hay

Try – Pink
Where there is desire there is gonna be a flame
Where there is a flame someone’s bound to get burned
But just because it burns doesn’t mean you’re gonna die
You gotta get up and try, and try, and try

93 million miles – Jason Mraz
Every road is a slippery slope
But there is always a hand that you can hold on to
Looking deeper through the telescope
You can see that your home’s inside of you

Pérola Negra – Daniela Mercury
E vem cantar meu povo
Vem cantar você
Bate os pés no chão, moçada
E diz que é do ilê ayê

Invento – Vitor Ramil
Oh, vento que vem
Pode passar
Inventa fora de mim
Outro lugar

Seguimos juntos em 2014 – pensando e agindo na mesma medida. 😉

Cla, Rica, Clarissa

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s